A Mágica de Chico César

Por Adriano Amaral Fico deslumbrado com o poder da lingua portuguesa. Nas mãos dos seus hábeis engenheiros (minha mania de comparar tudo com engenharia) se transformam em edifícios, obras primas da mente e da lingua, nossa patria. Um desses maestros em engendrar a lingua, e coloca-la a seus pés é Chico Cesar. Fascino-me com suas … Continuar lendo A Mágica de Chico César

Piloto Automático

enxertos poéticos: Gustavo Rangel E o piloto automático,Virou esquema tático,O álcool não me dominouFoi apenas o que restou,Seja em gel ou líquido,Tanto faz, só artifício,Não se engane,Quero que se dane,Vida vazia, “caraio”Tipo carta fora do baralho,Então faz um pix, “seu dotô”Na igreja há um salvador,Rimando ainda sei quem sou,Apenas poeta e sua dor. Continuar lendo Piloto Automático

Faz-me rir

Poema por Nubia Souza Faz-me rir O riso intenso O rio denso O sorriso imenso Aquele do mar Um singelo sonhar Um pingo Um universo Que dança livre no ar Para escrever não precisa pensar É só sentir A fala tem som Tem ritmo O pensamento dança O tempo canta O espaço encanta Salve o … Continuar lendo Faz-me rir

Horizontes Perdidos

Por Adriano Amaral Aprendi a confiar na alvorada Tanto que olho sempre ao horizonte Na esperança constante de reencontra-la Uma força que sempre me força a olhar Esperançosamente buscar voce E chorar, a infinita espera de não lhe ter Será essa a vida possível? Me perco, o tempo passa A saudade é a unica constante … Continuar lendo Horizontes Perdidos

O bem, o bom e o belo!

Inauguro aqui um novo espaço no Labirinto, destinado ao belo, ou melhor a alquimia, de transformar chumbo em ouro. Salas esvaziadas de significado, em ambientes de congregação e troca de idéias. Quartos, onde sonhos viram pesadelos, em átrios aconchegantes para a liberdade inconsciente de sonhar…e dormir. Finalmente um espaço dedicado aos arquitetos e designers…que como … Continuar lendo O bem, o bom e o belo!

“A Origem do Mundo” – Gustave Courbet

Contribuição André Fróes, um novo Alquimista… Comentários extraídos do Artigo “A Origem do Mundo” de Gustave Courbet: realismo e erotismo”, Ian Packer, cadernos de campo, São Paulo, n. 17, p. 169-186, 2008 Como podemos ficar alheios a tela, e a imagem que ela comporta? Lidamos bem com ela? As reações são diversas…escândalo, desejo, repudio, amor, etc… … Continuar lendo “A Origem do Mundo” – Gustave Courbet