E agora José?

Por Carlos Drummond de Andrade Extraído de https://www.culturagenial.com/poema-e-agora-jose-carlos-drummond-de-andrade/ José E agora, José?A festa acabou,a luz apagou,o povo sumiu,a noite esfriou,e agora, José?e agora, você?você que é sem nome,que zomba dos outros,você que faz versos,que ama, protesta?e agora, José? Está sem mulher,está sem discurso,está sem carinho,já não pode beber,já não pode fumar,cuspir já não pode,a noite … Continuar lendo E agora José?

Afetar-se

Por Adriano Amaral Ausente quando se mais precisa Mas sempre lá quando menos espera-se Problema seria em não tê-lo? Ou esperar quando ele não esta lá… Na sua ausência, o que brota? Sua busca, em cada olhar, toque, chamego, chêro Cheirar-te, abaianando-se O eterno lamentar de não tê-lo Quando será que virá? Porque esperá-lo por … Continuar lendo Afetar-se

Semeadouro

Por Luis César Souza Extraído do 8o Livro do autor – “Duas Terras Daqui” Se fosse um guardador de rebanhos e uma ovelha fosses do meu pastoreio buscaria que as estrelas indicassem-me onde te desgarraste e te mostraria o caminho de volta aos teus Se então uma criança na roda ciranda e outra tu a … Continuar lendo Semeadouro

Under Ben Bulben

BY WILLIAM BUTLER YEATS Contribuição de Vitor Tokoro Extraido da: https://www.poetryfoundation.org/poems/43298/under-ben-bulben Imagem da: https://en.wikipedia.org/wiki/Benbulbin#/media/File:Benbulbenmount.jpg I Swear by what the Sages spoke Round the Mareotic Lake That the Witch of Atlas knew, Spoke and set the cocks a-crow. Swear by those horsemen, by those women, Complexion and form prove superhuman, That pale, long visaged company That … Continuar lendo Under Ben Bulben

Nunca é tarde

Por Vitor Tokoro 31-mar-2021 / 08:02 nunca é tarde. no entanto, quanto antes começarmos a nos conhecer, a nos saber indivíduos, lidar com a psique, as emoções, reações, mais proveito podemos tirar da vida, aproveitar a potência da juventude, que a tudo transforma em libido e desejo. daí pode florescer o amor, o início de … Continuar lendo Nunca é tarde

LA PIEL

LA PIEL, Bertolt Brecht Extraído de Poesia del Toro de Barro LA PIEL, Bertolt Brecht La piel, de no rozarla con otra piel se va agrietando Los labios, de no tocarlos con otros labios se van secando. Los ojos, de no mirarse con otros ojos se van cerrando. El cuerpo, de no sentir otro cuerpo … Continuar lendo LA PIEL

A Mágica de Chico César

Por Adriano Amaral Fico deslumbrado com o poder da lingua portuguesa. Nas mãos dos seus hábeis engenheiros (minha mania de comparar tudo com engenharia) se transformam em edifícios, obras primas da mente e da lingua, nossa patria. Um desses maestros em engendrar a lingua, e coloca-la a seus pés é Chico Cesar. Fascino-me com suas … Continuar lendo A Mágica de Chico César

Faz-me rir

Poema por Nubia Souza Faz-me rir O riso intenso O rio denso O sorriso imenso Aquele do mar Um singelo sonhar Um pingo Um universo Que dança livre no ar Para escrever não precisa pensar É só sentir A fala tem som Tem ritmo O pensamento dança O tempo canta O espaço encanta Salve o … Continuar lendo Faz-me rir

Poema da incerteza

Essa poesia, quando lida, revela porções perdidas da “mente que mente”. A vida como dizia Vinicius de Moraes é “a arte do encontro…embora haja tanto desencontro pela vida”. Como podemos querer controlar todas ações e reações do que ocorre em nossas vidas? De onde surge essa necessidade do controle? Porque a busca incessante por certezas, … Continuar lendo Poema da incerteza